AQUECEDORES DE ÁGUA A GÁS

Requisitos de avaliação da conformidade para aquecedores de água a gás dos tipos instantâneo ou de acumulação

SOLICITE OS PROCEDIMENTOS DE CERTIFICAÇÃO
Icon-objetivo

1 – OBJETIVO

Estabelecer os Requisitos de Avaliação da Conformidade para Aquecedores de Água a Gás dos Tipos Instantâneo ou de Acumulação.

Estes requisitos se aplicam aos Aquecedores de Água a Gás dos Tipos Instantâneo ou de Acumulação, que utilizam Gás Liquefeito de Petróleo – GLP ou Gás Natural – GN e operam até os limites apresentados no quadro a seguir.

Tipo de aquecedorPotência kW (kcal/h)
Instantâneo70,0 (60.200)
Acumulação até 250 litros
35,0 (30.100)

A conformidade do objeto é evidenciada através da Etiqueta Nacional de Conservação de Energia – ENCE, de acordo com o Programa Brasileiro de Etiquetagem – PBE.

Icone-portaria

2 – PORTARIA DO INMETRO

Portaria n.º 182, de 13 de abril de 2012 – REQUISITOS DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE PARA AQUECEDORES DE ÁGUA A GÁS DOS TIPOS INSTANTÂNEO OU DE ACUMULAÇÃO.

icone-doc-complementares

3 – DOCUMENTOS COMPLEMENTARES

Lei nº 10295, de 17 de outubro de 2001Dispõe sobre a Política Nacional de Conservação e Uso Racional de
Energia
Decreto n. º 4.059, de 19 de dezembro de 2001Dispõe sobre a regulamentação da Lei 10.295 de 17 de outubro de 2001 e institui o Comitê Gestor de Indicadores e Níveis de Eficiência Energética- CGIEE
Portaria Secex nº 10/2010Dispõe sobre as operações de comércio exterior.
Portaria Inmetro nº
491/2010 ou sua sucessora
Aprova o procedimento para concessão, manutenção e renovação do
Registro de Objeto.
Portaria Inmetro nºAprova os Requisitos Gerais de Certificação de Produto – RGCP
ABNT NBR 8130Aquecedores de Água a Gás Instantâneo – requisitos e métodos de ensaio
ABNT NBR 5899Aquecedores de Água a Gás Instantâneo – terminologia
ABNT NBR 13103Instalação de aparelhos a gás para uso residencial – Requisitos dos ambientes
ABNT NBR 10540Aquecedores de água a gás tipo acumulação - Terminologia

ABNT NBR 10542Aquecedores de água a gás tipo acumulação - Ensaios - Método de ensaio

ABNT NBR 14177Tubo flexível metálico para instalações de gás combustível de baixa pressão
ABNT NBR NM ISO 7-1Rosca para tubos onde a junta de vedação sob pressão é feita pela rosca –
icon-definicoes

4 – DEFINIÇÕES

Família de Aquecedores de Água a Gás dos Tipos Instantâneo ou de Acumulação

  • Agrupamento dos modelos da abrangência pelos Requisitos de Avaliação da Conformidade para Aquecedores de Água a Gás dos Tipos Instantâneo ou de Acumulação. A família de Aquecedores de Água a Gás dos Tipos Instantâneo ou de Acumulação é constituída por modelos que apresentem as mesmas potências máximas, rendimentos e iguais itens construtivos, que influenciam nas características higiênicas e de potência.

Família de Aquecedores de Água a Gás do Tipo Instantâneo

  • A família de Aquecedores de Água a Gás do Tipo Instantâneo deve apresentar as seguintes características:

–  Aquecedor tipo instantâneo (IN);
–  nome da unidade fabril (UF);
– tipo de gás utilizado (G), podendo ser GN (quando o modelo for a Gás Natural) ou GLP (quando o modelo for a Gás Liquefeito de Petróleo);
– valor da potência máxima (P), em quilowatts;
– valor do rendimento (R), em percentual;
– diâmetro dos injetores (I), em milímetros;
– tipo de queimadores (Q);
– quantidade de queimadores (NQ);
– diâmetro da gola para exaustão (DG), em milímetros;
– tipo de câmara de combustão (C);
– tipo de válvula de gás do queimador principal que garanta a mesma potência máxima (V)
– tipo de exaustão (E).

A família deve ser identificada no formato padrão

IN_UF_G_P_R_I_Q_NQ_D_DG_C_V_E.

Família de Aquecedores de Água a Gás do Tipo Acumulação

  • A família de Aquecedores de Água a Gás do Tipo Acumulação deve apresentar as seguintes características:

– Aquecedor tipo acumulação (AC);
– nome da unidade fabril (UF);
– tipo de gás utilizado (G), podendo ser GN (quando o modelo for a Gás Natural) ou GLP (quando o modelo for a Gás Liquefeito de Petróleo);
– valor da potência máxima (P), em quilowatts;
– valor do rendimento (R), em percentual;
– diâmetro dos injetores (I), em milímetros;
– tipo de queimadores (Q);
– quantidade de queimadores (NQ);
– diâmetro da gola para exaustão (DG), em milímetros;
– tipo de câmara de combustão (C);
– material do isolamento térmico (M);
– espessura do isolamento térmico (ES), em milímetros;
– diâmetro do trocador de calor (DTC), em milímetros;
– altura do trocador de calor (ATC), em milímetros;
– quantidade de aletas do trocador de calor (QTC), em milímetros;
– forma de aletas do trocador de calor (FTC).

A família deve ser identificada no formato padrão AC_UF_G_P_R_I_Q_NQ_D_DG_C_M_ES_DTC_ATC_QTC_FTC

icon-etapas

5 – ETAPAS DO PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO

Solicitação de início de processo (Solicitante)

Análise da solicitação e da documentação (CELACK)

Auditoria e Amostragem

Ensaios

Análise dos relatórios de auditoria e ensaios

Aprovações

Emissão do Certificado

icone-auditoria

5.1 – AUDITORIA

O Celack deve realizar auditoria na fábrica, com objetivo de verificar a conformidade com os requisitos das Normas ISO 9001 ou ISO/TS 16949.

Requisitos mínimos para avaliação do sistema de gestão da qualidade do processo produtivo

ITENS ABNT NBR ISO 9001
Controle de documentos 4.2.3
Controle de registros 4.2.4
Planejamento da realização do produto 7.1
Processo de aquisição 7.4.1
Informações de aquisição 7.4.2
Verificação do produto adquirido 7.4.3
Controle de produção e prestação de serviço 7.5.1
Validação dos processos de produção e prestação de serviço 7.5.2
Identificação e rastreabilidade 7.5.3
Preservação do produto 7.5.5
Controle de equipamento de monitoramento e medição 7.6
Monitoramento e medição de produto 8.2.4
Controle de produto não conforme 8.3
Ação corretiva 8.5.2
Ação preventiva 8.5.3
icon-amostragem

5.2 – AMOSTRAGEM E ENSAIOS

Tabela 1
Plano de ensaios, base normativa e tamanho da amostra para os ensaios iniciais para Aquecedores de Água a Gás Tipo Instantâneo por família, conforme ABNT NBR 8130.

Plano de Ensaios
Item da norma técnica
Amostragem  
ProvaContra provaTestemunha
Ensaio de estanqueidade
conforme descrito no item 5.3.1 da norma técnica e no item D.2.2.1 do Anexo D deste RAC












1 (uma)
unidade













1 (uma)
unidade













1 (uma)
unidade
Determinação da potência nominal nas condições- padrãoconforme descrito no item 5.3.3 da norma técnica e no item D.2.2.2 do Anexo D deste RAC
Ensaio das características higiênicasconforme descrito no item 5.3.4 da norma técnica e no item D.2.2.3 do Anexo D deste RAC
Ensaio de temperatura da capa e dos controlesconforme descrito no item 5.3.6 da norma técnica e no item D.2.2.4 do Anexo D deste RAC
Ensaio de estabilidade de queima

conforme descrito no item 5.3.7 da norma técnica e no item D.2.2.5 do Anexo D deste RAC
Ensaio de temperatura máxima de saída de água
conforme descrito no item 5.3.8 da norma técnica e no item D.2.2.6 do Anexo D deste RAC
Ensaio de tempo de acionamento do dispositivo de segurança de igniçãoconforme descrito no item 5.3.9 da norma técnica
Marcação e embalagemconforme descrito no item 6 e no item D.2.2.7 do Anexo D deste RAC
Ensaio de estanqueidade da câmara de combustão (aplicável somente para aparelhos com fluxo balanceado)
conforme descrito no item D.3, do Anexo D deste RAC
Acendimento de aparelhos com chama pilotoconforme descrito no item D.2.2.8 do Anexo D deste RAC
Apagamento de aparelhosconforme descrito no item D.2.2.9 do Anexo D deste RAC
Ensaio de pressão e vazão mínima de operação para o funcionamento do aparelho
conforme descrito no item D.2.2.10 do Anexo D deste RAC
Ensaio de Rendimento
conforme descrito no item 5.3.5 da norma técnica e no item D.2.2.11 do Anexo D deste RAC
3 (três)
unidades
3 (três)
unidades
3 (três)
unidades

Tabela 2
Plano de ensaios, base normativa e tamanho da amostra para os ensaios iniciais para Aquecedores de Água a Gás Tipo Acumulação por família, conforme ABNT NBR 10542.

Plano de Ensaios
Item da norma técnica
Amostragem  
ProvaContra provaTestemunha
Ensaio de estanqueidadeconforme descrito no item 3.3 da norma técnica e no item D.1.5.1 do Anexo D deste RAC













1 (uma)
unidade













1 (uma)
unidade













1 (uma)
unidade
Ensaio das características higiênicas
conforme descrito nos itens 3.4 e 3.10 da norma técnica

Ensaio da Potência Nominal
conforme descrito no item 3.5 da norma técnica e no item D.1.5.3 do Anexo D deste RAC
Ensaio de temperatura da capa e dos controles
conforme descrito no item D.1.5.5 do Anexo D deste RAC
Ensaio de estabilidade de queima
conforme descrito no item 3.8 da norma técnica e no item D.1.5.6 do Anexo D deste RAC
Ensaio de aquecimento inicial
conforme descrito no item 3.9 da norma técnica
Ensaio de tempo de acionamento do dispositivo de segurança de ignição
conforme descrito no item no item D.1.5.8 do Anexo D deste RAC
Marcação e embalagem
conforme descrito no item D.1.4.2 do Anexo D deste RAC
Ensaio de determinação da capacidade de recuperação
conforme descrito no item 3.11 da norma técnica

Acendimentoconforme descrito no item no item D.1.5.9 do Anexo D deste RAC
Extinção da chama
conforme descrito no item no item D.1.5.10 do Anexo D deste RAC
Ensaio de Rendimento
conforme descrito no item 3.6 da norma técnica e no item D.1.5.4 do Anexo D deste RAC
3 (três)
unidades
3 (três)
unidades
3 (três)
unidades

icone-reclamacoes

5.3 – TRATAMENTO DE RECLAMAÇÕES

Comporá o processo de avaliação da conformidade do objeto, a análise do processo de tratamento de reclamações do titular da certificação, que deve conter:

  1. a) uma política para tratamento das reclamações, assinada pelo seu executivo maior, que evidencie que a empresa:
  • valoriza e dá efetivo tratamento às reclamações apresentadas por seus clientes;
  • conhece e compromete-se a cumprir e sujeitar-se às penalidades previstas nas leis, especificamente na Lei n.º 8078/1990;
  • analisa criticamente os resultados, bem como toma as providências devidas, em função das estatísticas das reclamações recebidas;
  • define responsabilidades quanto ao tratamento das reclamações;
  • compromete-se a responder ao Inmetro qualquer reclamação encaminhada pelo Instituto, no prazo estabelecido.

b) uma sistemática para o tratamento de reclamações de seus clientes contendo o registro de cada uma das reclamações, o tratamento dado e o estágio atual.

c) a indicação formal de uma pessoa ou equipe, devidamente capacitada e com liberdade para o tratamento das reclamações; e

d) número de telefone para atendimento às reclamações e formulário de registro de reclamações.

O titular da certificação deve ainda realizar semestralmente uma análise crítica das estatísticas das reclamações recebidas e evidências da implementação das correspondentes ações corretivas, bem como das oportunidades de melhorias.

icon-certificacao

6 – MANUTENÇÃO DA CERTIFICAÇÃO

Auditoria – a cada 12 meses no SGQ e Linha de Produção e Tratativa de Reclamações de Clientes.

Amostragem – Para a realização destes ensaios devem ser coletadas alternadamente no comércio e na fábrica.

Ensaios – O OCP deve realizar, a cada ano, ensaios completos em 25% das famílias das rodas certificadas.

icone-inmetro

7 – SELO DE IDENTIFICAÇÃO DA CONFORMIDADE

O fornecedor deve manter de forma obrigatória no produto, no mínimo, as seguintes informações:

a) Selo de Identificação da Conformidade, neste caso, a ENCE;

b) nome do fornecedor ou sua marca, razão social, nome fantasia (quando constar no CNPJ) e CNPJ do fornecedor detentor do Registro de Objeto;

c) a designação do tipo, conforme potência nominal estipulada nas tabelas (número a ser dado após a revisão);

d) Potência nominal  nas  condições-padrão  em  quilowatts  (kW)  e  em  quilocalorias  por  minuto (kcal/min);

e) Rendimento (%), calculado sobre o Poder Calorífico Superior;

f) o tipo de gás utilizado;

g) a seguinte  inscrição:  “Este  aparelho  só  pode  ser  instalado  em  locais  onde  haja  ventilação permanente, sendo o uso de chaminé obrigatório”.

Faixas de eficiênciaCianoMagentaAmareloPreto
A10001000
B3001000
C001000
D0301000
E010010000
Nota: A Marca ou Logomarca do fabricante/fornecedor pode ser utilizada em suas cores originais.

Modelos da ENCE

CamposPreenchimento
aInformar o tipo de aparelho: Aquecedor de Água a Gás tipo Instantâneo ou
Aquecedor de Água a Gás tipo Acumulação.
bNome da empresa responsável pela primeira comercialização do produto
cMarca comercial
dModelo
eTipo de gás utilizado GLP ou GN
fLetra de a Classificação – alinhar a letra à correspondente classe de eficiência energética
gRendimento dos Aquecedores (deve ser seguido o critério de arredondamento estabelecido
h• Para Aquecedores de Água a Gás Tipo Instantâneos*:
Capacidade de vazão para elevação da temperatura da água de no mínimo 20o C Potência Nominal kW (kcal/hora)
Consumo máximo de Gás (GLP = kg/hora e GN = m3/hora)

• Para Aquecedores de Água a Gás Tipo Acumulação*: Volume interno (litros)
Potência Nominal nas condições padrão kW (kcal/hora)
Consumo máximo de gás para elevação a temperatura da água em 50 ºC sem circulação de água.

*deve ser seguido o critério de arredondamento estabelecido

Modelo da ENCE para Aquecedor de Água a Gás
Tipo Instantâneo (Dimensões em mm)                          

Modelo de ENCE para Aquecedores de Água a Gás
 Tipo Acumulação (Dimensões em mm)

Deseja solicitar os procedimentos de certificação? Envie uma mensagem e entraremos em contato.